31/12/2017

Retrospectiva 2017


É isso aí, 2017 tá acabando...

Confesso que eu não ia fazer retrospectiva porque até cinco minutos atrás, eu não havia entendido esse ano, mas agora eu entendi, ou pelo menos, eu acho que entendi...

Na verdade, eu comecei o ano pensando que algumas pessoas ficariam no passado, a primeira ligação do ano me dizia isso, mas ao longo dos meses, percebi que apenas a confiança ficaria no passado, essas pessoas teriam novos papéis e, com certeza, não seriam protagonistas.

O cabelo loiro enorme que passava da cintura daria lugar a um cabelo vermelho no ombro e os olhos azuis esverdeados ficariam atrás de lentes pesadas de óculos de armações pretas.

Conheci pessoas que fiz de tudo para estar perto, ajudar e mostrar o quanto eu desejava os minutos ao lado delas por diferentes motivos, percebi já no final, que o lugar que ocupava em suas vidas era tão secundário que quase não existia, enquanto elas eram protagonistas, eu era a coadjuvante delas... Sem problemas, realinhamos a linha da vida e permaneço perto delas, mas agora de outro modo.

Fiz viagens incríveis: São Miguel (duas vezes) onde nunca ri tanto, trabalhei tanto e quebrei tanto a cabeça, mas ajudou a fortificar a amizade com alguém muito especial que hoje chamo de irmã; fui a Mossoró e senti um gosto amargo ao me despedir de lá dessa vez, não sei o porquê, mas sinto falta daquela viagem, daquela cidade, das formações e das pessoas, especialmente. Fui a Recife, depois de alguns anos e foi tudo de bom, aliás, foi a melhor viagem com o grupo de jovens (JMV); voltei ao Lima, sentia saudade da Romaria da Juventude depois de dois anos sem ir...

Mudei de casa, de cidade, mas graças a Deus e minha best friend/irmã posso estar todos os fins de semana na minha amada Pau dos Ferros. Tudo bem que a cidade que estou morando não é tão longe, mas ainda sinto falta de estar na minha city todo o tempo.

Fui festas muito legais, onde ri, pulei, cantei, mas também fui a algumas que deveria nem lembrar (sabe a sensação de levar um soco no estômago sem merecer? Então).

Eu ouvi críticas nada construtivas, de pessoas que me feriram demais, mas também ouvi o melhor dos elogios na vida e sei que tudo foi um incrível aprendizado.

Me organizei mais em muitos aspectos, mas acabei me desorganizando em outros, porém a vida continua. Algumas ações são do tipo “só podemos conversar com nosso travesseiro depois que as luzes são apagadas e ninguém estar por perto”, outras são tão engraçadas que ainda dói a barriga de tanto rir.

Consegui o que julgava impossível: a famosa caminhada de 33 km da festa de Nossa Senhora da conceição. Isso mesmo, uma caminhada de Portalegre a Pau dos Ferros, saímos às 23h e chegamos às 7h30 do dia seguinte. Melhor sensação, chegar na minha amada Matriz e saber que eu consegui fazer todo o percurso a pé.

Mas, com certeza, os tapas na cara que o universo me deu em um formato de um único ser ganha de lavada! Já pensou unir tudo que você detesta e, apesar disso tudo que tanto detesta, ainda te faz querer estar com essa pessoa? Então, né?Essa sou eu, meio louco, eu sei. Valeu uni, você me deve uma! E o que eu diria a essa pessoa se eu tivesse oportunidade, você tem tudo que me faz odiar uma pessoa, mesmo assim, tem algo que me faz gostar dobrado!

Ai, 2017! Que bom que você chegou ao fim, mas a verdade é que vendo as fotos e os vídeos do começo do ano, posso dizer que não me reconheço mais com aquela menina de janeiro, fevereiro e março que você viu de perto. Sei que sou outra pessoa agora, além do físico, algo em mim está de fato mudado e como Oswaldo Montenegro pergunta em sua canção “Onde você ainda se reconhece na foto passada ou no espelho de agora?”, eu respondo, sem dúvida, em quem eu sou agora, me sinto melhor assim, apesar de querer mudar tanta coisa...

E que venha 2018.
                                                                                                           
O que espero do ano novo?

Apenas paciência para viver e aceitar o que não pode ser mudado!

Feliz Ano Novo a todos!

30/12/2017

Réveillon: Manda Nudes!!!!!


Oi gente!

Amanhã é Réveillon, passagem de um ano para outro e, venhamos e convenhamos, como queríamos que 2017 acabasse logo, né?

Então, falando menos nisso e mais sobre o que usar nessa noite/madrugada em que ficamos loucos pela meia-noite, que tal falarmos sobre unhas?

Então, aqui no nosso país muitas pessoas usam roupa branca ou clara, mas unhas coloridas. No entanto, trago uma proposta mais clean para vocês.

Que tal usar o tom nude nas unhas?

O nude tem ganhado cada vez mais espaço nas nossas vidas, eu já falei sobre sapatos (aqui), roupas (aqui) e até make (aqui) nesse tom.

As principais marcas de esmaltes que conhecemos lançaram suas linhas nesse tom, com diversas variações, ou seja, provaram de uma vez por todas que nude não é apenas o tradicional bege, mas pode ir de um rosa clarinho até um marrom.

Aproveitando as linhas lançadas, eu escolhi três de cada marca para indicar para vocês, mas vale a pena conhecer toda a linha e escolher o nude que mais combina com seu tom de pele, ou mais gosta.

1. Nudes da Risqué:



O tradicional Nude da Risqué já virou até meme, não é mesmo? Mas, a verdade é que esse tom é lindo e voltado para o bege, já o Bali é mais rosado e o Ouro Nude é uma mistura de marrom claro com dourado, já que ele é metalizado, fica lindo em morenas claras.

2. Nudes da Colorama:



O Nude da Colorama é mais rosado e me lembra muito o Rosa Antigo da mesma marca, o Chic Pele é mais voltado para o nude meio lilás, fica lindo em loiras de pele rosada. O Plena, ao meu ver é o que mais lembra o tom bege.

3. Nudes da Impala:



O Nude clássico da Impala, faz jus ao nome, tem aquele tom de nude tradicional bege que amamos, o Tutu, voltado para o lilás é ótimo para quem quer um nude com uma pitada de cor. E o Pliê, fica lindo em morenas de pele escura, já que possui um tom meio terroso com dourado.

4. Nudes da Vult:



O Puro nude é muito chique, não é mesmo? Se quer uma pitada de exuberância e ter cara de rica, aposta nesse! O Panqueca Doce é ótimo para branquinhas que tem cabelo alaranjado ou vermelho (como eu), o Meio Amargo lindo que só ele, com essa cara de chocolate, é um nude marrom que fica lindo em pele negra.

E aí, gostam de usar o tom de nude nas unhas?

Uma dica é para quem não abre mão de usar um tom forte nas unhas das mãos no Réveillon, aplica o nude nas unhas dos pés, fica lindo e elegante.

E a meia-noite, na hora de mandar fotos para a galera, manda nudes das unhas, mas unhas bem pintadas e elegantes, hein? kkkkkkkkk

29/12/2017

As Mais Ouvidas de 2017 (por mim)


Oi amores de minha vida!

O ano de 2017 (ano que ainda não sei definir) está finalmente acabando e, se teve uma coisa que ficou a desejar nesses 365 dias foi a música.

Não me julguem, mas nas rádios só tocava funk, forró e a nova safra do axé que está péssima (com raríssimas exceções).

De qualquer forma, listei as músicas que me fizeram bem esse ano, sei que tenho um gosto peculiar para música, então, novamente: não me julguem!

Algumas, nem são desse ano, mas estão aqui porque só as conheci nessa loucura de 2017.

Não vou comentar o peso que cada uma teve em minha vida, mas podem ter certeza que passei por poucas e boas e cada uma representa um momento marcante desse ano. 

E o link do YouTube, é só clicar no nome da música abaixo:

1. Te Assumi pro Brasil (Matheus & Kauan)

2. Despacito (versão da Luisa Sonza)

3. Chegaste (Roberto Carlos & Jennifer Lopez)

4. K.O. (Pabllo Vittar)

5. Senhorita (Victor & Leo)

6. Trem-Bala (Ana Vilela)

7. Era Uma Vez (Kell Smith)

8. Dona Maria (Thiago Brava part. Jorge)

9. Fica (AnaVitória part. Matheus & Kauan)

10. Casalzinho Butequeiro (Maiara & Maraisa)

11. Impasse (Marília Mendonça part. Henrique & Juliano)

12. Loka (Simone & Simaria part. Anitta)

13. Cheguei (Ludmilla)

14. Até Ex Duvida (Day & Lara part. Maiara & Maraisa)

Bônus:

Muito antiga, mas só a conheci esse ano

15. Coitado (Naiara Azevedo)

24/12/2017

10 Anos Depois... O Final


Dez anos se passaram desde que vi muitos de vocês pela última vez.

Ainda sinto falta das manhãs ao lado de vocês, do dindin de biscoito, do salgadinho de galinha caipira e pimenta, das torradas e salsichões, das mangas verdes com sal... Das conversas embaixo da mangueira, ou em frente a biblioteca.

Lembro dos cursos a tarde, das pessoas diferentes que conheci ali...

A foto que usei nos três posts especiais é justamente do nosso último dia juntos, lembro da carta que fiz e li emocionada falando da amizade que desenvolvi com cada um ao longo de três anos juntos e, eu apesar de ter consciência todos os dias nessa época que estava aproveitando ao máximo, teria adorado viver outras experiências com vocês.

Foi aí que me aproximei de quem hoje é minha melhor amiga, foi aí que viajei com uma turma diferente pela primeira vez, foi aí que o coração disse sim a alguém e foi aí que, apesar de dias de tormenta e angustiada pela depressão que me consumia, eu encontrava refúgio e tranquilidade.

Enfim, esse é o último dos posts que escrevi ao longo desses três anos, e sempre serei gata a Deus por me permitir conhecer cada um de vocês. Vocês foram e sempre serão uma parte decisiva da minha formação...

Minha cabeça nunca boa para memorizar nomes e muito menos rostos, então se me encontrarem na rua, não ache estranho eu não saber quem você é de cara, refresca minha memória, eu vou amar te dar um abraço e lembrar do quanto você é importante!

Amo vocês eternamente, minha melhor turma, minha melhor escola!